Macaé: prefeito denuncia à Procuradoria e MP esquema de médicos no HPM

Nos últimos dois anos, três crianças morreram na emergência pediátrica do Hospital Público de Macaé (HPM). A última vítima, de apenas 1 ano, faleceu no início do mês passado. As mortes não podem ser imputadas à suposta negligência médica. 

Contudo, em função delas e das reclamações de pacientes sobre filas no HPM, em 27 de outubro do ano passado, o prefeito, Dr. Aluízio (MDB), tomou medidas para coibir um esquema identificado na unidade.

Isso porque, mesmo havendo 4 médicos contratados e pagos pelo município para atender por vez a cada plantão, os pediatras fazem internamente um revezamento onde apenas dois trabalham enquanto os outros dois descansam – e os pacientes se aglomeram em filas.

E isso não é de hoje. Em 27 de outubro do ano passado, o prefeito chegou a determinar, por escrito, à direção do HPM o fechamento dos dormitórios no horário entre 8h e 20h. Entretanto, a ordem vem sendo negligenciada.

Agora, segundo carta assinada por Dr. Aluízio a que o Blog teve acesso, o próprio chefe do Executivo denunciou o caso à Procuradoria Geral do Município, solicitando que cópias do documento sejam enviadas também à Secretaria de Saúde e ao Ministério Público.

“Na qualidade de pai, médico e, por hora, prefeito, entendendo que o fato não deveria ter ocorrido e que jamais volte a ocorrer, exijo a apuração rigorosa dos fatos”, diz o prefeito em trecho do documento.

O chefe do Executivo quer ainda celeridade na apuração da conduta dos médicos e também que sejam responsabilizados civil e criminalmente, caso comprovado o esquema interno de revezamento em pleno horário de atendimento. A conferir!