Carregando...
Governo

Macaé: PL pode colocar município como prioridade da Anatel para receber Internet 5G após leilão e beneficiar escolas e serra

Previsto pelo Governo Federal para acontecer no dia 4 de novembro, o leilão da Internet 5G pode mudar o futuro da educação e provocar uma verdadeira revolução tecnológica. Essa é a expectativa do relator da Comissão de Educação da Câmara, Guto Garcia (PDT). Entretanto, para que as cidades recebam a novidade, é preciso haver normas municipais para a instalação das antenas – o que Macaé ainda não possui.

Contudo, Guto encaminhou esta semana projeto de lei fazendo com que Macaé tenha legislação própria sobre o assunto. Desta forma, a cidade passará a ter prioridade na instalação do 5G. “Para que Macaé não fique para trás, é necessário que o município tenha uma legislação própria, modernizando os processos. Assim, conforme prevê o edital da Anatel, Macaé terá prioridade na instalação do 5G”, resumiu.

O vereador frisou que o projeto de lei dispõe sobre normas para a implantação e compartilhamento de infraestrutura de suporte e de telecomunicações no município. Com isso, as novas regras vão beneficiar não apenas as novas redes, mas também todo o serviço de telefonia e internet do município, incluindo a região serrana.

Professor e ex-secretário de Educação, Guto comemora ainda a inclusão da gratuidade na conexão 5G para toda a rede pública de ensino do país – incluída no leilão como contrapartida às empresas vencedoras do leilão.

“Como professor, já imagino as infinitas possibilidades de melhorarmos a qualidade de ensino com uma internet de alta velocidade nas escolas. O potencial é quase infinito de diferentes tipos de conteúdos educacionais. Mas essa é uma realidade que tem que chegar a todos. Por isso é tão importante essa discussão”, reafirma o vereador.

Entenda melhor

 No leilão do 5G, serão ofertadas quatro faixas de frequência de internet móvel de quinta geração: 700 MHz; 2,3 GHz; 3,5 GHz; e 26 GHz. Essas faixas funcionam como “avenidas” no ar para transmissão de dados. O direito de exploração das faixas 5G será de até 20 anos. O leilão será realizado em lotes, divididos entre nacionais e regionais.

As faixas têm compromissos de investimento como contrapartida. São obrigações que as operadoras que vencerem o leilão terão de cumprir, como levar internet móvel para as rodovias do país, para locais isolados e 5G para todas as capitais do país até julho de 2022.

Outra expectativa é que o 5G alavanque a chamada Internet das Coisas, ou seja, a conexão entre dispositivos cotidianos (máquina a máquina). Setores como telemedicina, educação à distância e automação industrial e agrícola estão entre os que devem ser beneficiados com a tecnologia.

 

%d blogueiros gostam disto: