Loading...
BrasilEleições 2018EstadoGeralMacaé

Macaé: conheça a ficha corrida do ex-assessor de Riverton que gravou vídeo cobrando ações de Dr. Aluízio. Entenda!

Um vídeo circula nas redes sociais neste fim de semana onde um morador da região serrana, que se identifica como Jefferson Lemos, aborda o prefeito, Dr. Aluízio (PMDB), que vistoriava uma ponte em Trapiche afetada pelas fortes chuvas dos últimos dias.

Na gravação, Jefferson questiona o que ele chama de ‘retrocesso’ e ‘abandono’ da serra pela Prefeitura. Contudo, o prefeito surpreende o rapaz e responde que ‘houve uma época em que existia um Governo onde pessoas recebiam sem trabalhar’.

Na sequência, Dr. Aluízio desafia Jefferson e pede que na próxima segunda-feira, 19, o moço leve 10 trabalhadores da serra a seu gabinete. Neste momento, o prefeito frisa que não receberá se o grupo for formado por pessoas que ‘ficavam no botiquim recebendo dinheiro sem trabalhar”.

Os questionamentos do chefe do Executivo aguçaram a curiosidade do Blog sobre o histórico de Jefferson. E, sem que fosse necessário muito esforço, alguns fatos sobre ele passam a fazer todo o sentido.

Jefferson foi assessor do ex-prefeito Riverton Mussi, que teve recentemente os bens bloqueados pela Justiça por suspeita de corrupção. Em 2013, por exemplo, o moço apareceu em fotos em Barretos com o ex-padrinho e que viraram um escândalo na época.

Além disso, era Jefferson o responsável por fazer a manutenção de aparelhos de ar-condicionado de todas as escolas durante os 8 anos da gestão Riverton. Foi nomeado em 2011, fez concurso público e tomou posse agosto do ano seguinte na primeira convocação feita pela Prefeitura.

Em 2014, Jefferson respondeu um inquérito (174/2014) acusado de envolvimento no “quebra-quebra ” de patrimônio publico em Glicério.

Ainda em 2014, ele fez ameaças às equipes de jornalismo do jornal O Debate e da TV Record – quando cobriam uma matéria na serra. Meses depois, publicou ameaças contra o jornalista André Cabral, do Expresso Regional.

O moço possuiu diversas lotações com “devolução” em cada uma delas. Em fevereiro deste ano, Jefferson foi encaminhado à Secretaria de Ordem Pública, onde ainda está lotado.

%d blogueiros gostam disto: