Macaé: audiência pública na Câmara discute as ‘Novas Rotas de Gás Natural’ e reúne executivos do setor e parlamentares

Nesta quinta-feira, 28, a Câmara realizou audiência pública para discutir as ‘Novas Rotas do Gás Natural’. A iniciativa foi proposta por Cristiano Gelinho (PTC) e contou ainda com as participações de Maxwell Vaz (SD) e do deputado estadual, Welberth (Cidadania), além de executivos de empresas do setor e do Tepor, José Eduardo Carramenha.

Aliás, o diretor de Estudo do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, da EPE – órgão ligado ao Ministério de Minas e Energia -, José Mauro Coelho, apresentou as “Perspectivas do Setor de Petróleo e Gás e as Novas Rotas do Gás Natural”. O executivo abordou o estudo Plano Indicativo de Processamento e Escoamento (PIPE), recentemente publicado pela empresa.

Gelinho se mostrou confiante com o resultado da audiência. Segundo o vereador, a maior preocupação é que Macaé não fique de fora de uma das seis novas rotas para escoamento do gás naturaloffshore no país que estão sendo estudadas pela empresa.

“Nosso compromisso é garantir a geração de emprego e renda na cidade. Deixar Macaé de fora das novas rotas de gás é um retrocesso. Estamos vivendo um momento de retomada dos campos maduros da BC e agora com a licença do Porto, temos de fortalecer mais o setor”, disse.

Novas rotas: entenda!

Das rotas em estudo pela EPE – com capacidade variando entre 30 milhões de m3 por dia e 45 milhões de m3 por dia – duas são alternativas para a Rota 4, uma ligando o pré-salde Santos até São Paulo e outra ao Porto de Itaguaí.

Além disso, outras quatro rotas saindo da Bacia de Campos também são estudadas pela empresa, sendo duas ligando o Porto do Açu e outra duas o Porto Central e o Porto de Itaguaí.