Carregando...
BrasilEleições 2018EstadoMacaé

Desafeto de Felício Laterça teria provocado MPF para tentar impedir nomeação de delegado como superintendente da PF

Reportagem exibida na edição desta quinta-feira, 1, no Jornal Nacional mostrou um suposto esquema de favorecimento político envolvendo Felício Laterça – indicado como novo superintendente da Polícia Federal no Estado do RJ e ex-delegado da PF em Macaé.

Entretanto, segundo apurou o Blog, um desafeto de Laterça – de dentro da própria PF – seria o pivô da denúncia ao Ministério Público Federal. O objetivo: impedir que o delegado assuma o posto mais alto da Polícia Federal no Estado. Para isso, um enredo foi criado e entregue à TV Globo.

O imóvel apontado na denúncia como alvo do acordo, é alugado pela Prefeitura desde 2006 – ainda na gestão do ex-prefeito, Riverton Mussi (PDT). A Secretaria de Obras funciona no local e a extinta Mactran também já esteve sediada no espaço.

Segundo o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), não há qualquer ligação com Clementino da Conceição, ex-chefe do Executivo de Madalena e proprietário do imóvel. O macaense negou qualquer relação política ou pessoal com ele e reforçou que o prédio está alugado pela Prefeitura desde 2006. Ele destacou também que na atual gestão foi feita uma negociação para reduzir o valor de aluguel.

Dr. Aluízio ressaltou ainda que a Prefeitura cede espaços locados para a Polícia Federal há muitos anos. “A PF funcionava num prédio horrível no Centro que a Prefeitura pagava o aluguel há mais de 20 anos. A mudança, além de melhorar a estrutura, gerou economia porque o Governo deixou de pagar o aluguel do Centro e transferiu a sede para um prédio que já estava locado pela municipalidade”, explicou.

 

Atual contrato foi verificado pela PF

Sobre o atual comodato firmado entre a Prefeitura e a PF para ocupar o imóvel, Dr. Aluízio informou que o contrato foi verificado e assinado na época com a Superintendência da Polícia Federal – sem qualquer ingerência do delegado. No enredo entregue ao Jornal Nacional, no entanto, Laterça teria recebido vantagens para mudar de sede.

Aliás, de acordo com a reportagem do JN, uma das supostas vantagens oferecidas teria sido a nomeação de seu irmão a algum cargo na Alerj. Entretanto, diferente do que é dito na matéria, Dr. Aluízio afirma sequer conhecer o ex-deputado Farid Abraão – que nomeou Rodolfo Laterça em seu gabinete em 2015.

Outro fato estranho é que a nomeação de Rodolfo se deu no mesmo período em que Felício foi transferido para Macaé – o que refutaria a tese do oferecimento de vantagens tendo a mudança de prédio como moeda de troca. “A nova sede só foi inaugurada em junho de 2016”, recorda o chefe do Executivo macaense.

Uma curiosidade: horas depois da matéria ser exibida na TV Globo, alguns portais veicularam a informação que o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, por conta da repercussão do caso, teria desistido de nomear Laterça para a superintendência do instituição no Estado. Mas, a notícia – ao menos até agora – não se confirma.

Às 10h de hoje, Dr. Aluízio concederá entrevista coletiva para falar sobre a relação institucional entre Prefeitura e Polícia Federal.

%d blogueiros gostam disto: